No banner in farm
 
INÍCIO| ARTIGOS| EVENTOS | CURSOS | NEGÓCIOS| COMUNIDADES | TÉCNICOS | PACIENTES | SHOPPING

Cadastre-se Editorial Mapa do Site Quem Somos

Submarino

 Cadastre-se
Seja um membro do RADIOLOGY.COM.BR e receba notícias, eventos e muito mais em seu e-mail.

Nome:

E-mail:

Residente em Radiologia?
Sim
Não


 Shopping
TC de Alta Resolução do Pulmão
Técnicas Radiológicas

Radiologia: Perguntas e Respostas: o Pequeno Livro Verde
Radiologia Odontológica

Ultra-Sonografia em Obstetrícia e Ginecologia
Compêndio de Radiologia

Ultra-Sonografia em Obstretrícia e Ginecologia
Segredos em Radiologia

Ressonância Magnética em Ortopedia e Medicina Esportiva
Fundamentos de Radiologia

Fundamentos de Radiologia de Squire
Fundamentos de Radiologia e Diagnóstico por Imagem

CVarredura em Ultra-Sonografia: Princípios e Protocolos
Paul & Juhl: Interpretação Radiológica


 Fale Conosco

Informações Gerais

Comercial

 
Avaliação de pacientes com Esclerose Mesial Temporal por RM
 

A dra. Eun Joo Park defendeu no dia 7 de junho sua tese na Faculdade de Medicina da USP – Departamento de Radiologia , para obtenção do título de doutor, com o trabalho intitulado “Avaliação de pacientes com Esclerose Mesial Temporal pela espectroscopia de fósforo por ressonância magnética em aparelho de 3T”.

Ao apresentar seus objetivos, a autora destacou que, “aproximadamente 20 a 30% dos casos novos de epilepsia se tornaram refratários ao tratamento medicamentoso ao longo do tempo e a maioria destes casos está relacionada à esclerose mesial temporal (EMT). A disfunção metabólica tem sido relacionada à EMT por diferentes métodos, como tomografia de emissão de pósitrons, tomografia computadorizada por emissão de fóton único, espectroscopia de próton e fósforo (31P-ERM) por ressonância magnética”.

Esclarece, também, que “a caracterização das alterações metabólicas relacionadas à EMT pode auxiliar na melhor compreensão da epileptogênese, da refratariedade clínica comumente encontrada nestes pacientes e na busca de novas possibilidades terapêuticas.”

O estudo reuniu 33 pacientes com EMT unilateral e 31 controles. Com base na análise de voxels localizados ns regiões hipocampal (RH), insulonuclear anterior (RINA), insulonuclear posterior (RINP) e frontal (RF), que foram considerados ipsilaterais ou contralaterais à EMT, diagnosticada pela RM convencional, somada ao estudo de metabólitos, a autora concluiu que existem alterações energéticas difusas nas regiões não epileptogênicas de pacientes com EMT, que podem estar relacionadas à disfunção mitocondrial.

Segundo a autora, ao expor suas conclusões, fica evidenciado que “na RH ipsilateral, detectou-se redução de PME na análise de voxels interpolados e no grupo de pacientes com freqüência maior que 10 crises por mês, indicando alteração de composição de membrana, provavelmente relacionado à glicose e perda neural”.

A banca examinadora foi composta pelos profs. Drs. Claudia da Costa Leite, orientadora do trbalho, Henrique Carrete Junior, Leandro Tavares Lucato, Nitamar Abdala e Rosa Maria Figueiredo Valério, na foto com a doutoranda e com a dra. Maria C. Garcia Otaduy.

Fonte: InRad News Junho/Julho 2013 – nº82

 

© 2007 - Radiology.com.br