No banner in farm
 
INÍCIO| ARTIGOS| EVENTOS | CURSOS | NEGÓCIOS| COMUNIDADES | TÉCNICOS | PACIENTES | SHOPPING

Cadastre-se Editorial Mapa do Site Quem Somos

Submarino

 Cadastre-se
Seja um membro do RADIOLOGY.COM.BR e receba notícias, eventos e muito mais em seu e-mail.

Nome:

E-mail:

Residente em Radiologia?
Sim
Não


 Shopping
TC de Alta Resolução do Pulmão
Técnicas Radiológicas

Radiologia: Perguntas e Respostas: o Pequeno Livro Verde
Radiologia Odontológica

Ultra-Sonografia em Obstetrícia e Ginecologia
Compêndio de Radiologia

Ultra-Sonografia em Obstretrícia e Ginecologia
Segredos em Radiologia

Ressonância Magnética em Ortopedia e Medicina Esportiva
Fundamentos de Radiologia

Fundamentos de Radiologia de Squire
Fundamentos de Radiologia e Diagnóstico por Imagem

CVarredura em Ultra-Sonografia: Princípios e Protocolos
Paul & Juhl: Interpretação Radiológica


 Fale Conosco

Informações Gerais

Comercial

 
“Radiologista deve mudar sua relação com o paciente”afirma Bisset
 

"Saia detrás das cortinas e mostre sua face, radiologista". Com esta expressão proferida na manhã de domingo , durante a abertura da reunião anual do RSNA em Chicago , o Dr. George Bisset III presidente da entidade deu a tom das palestras que seguiram-se nos dias subseqüentes.

As frases "primeiro o paciente" e "tornar o radiologista mais visível" têm sido repetidas nas comunidades radiológicas americanas, mas Bisset, que é radiologista pediátrico em Houston, argumentou que isso deve tornar-se uma realidade se a radiologia pretende de fato enfrentar as mudanças que estão para ocorrer no setor de saúde em geral. O desenvolvimento de organizações como a Affordable Care Act como organização prestadora de serviços de saúde , inclusive domiciliares , por exemplo demanda que os radiologistas,de fato, pratiquem sua especialidade considerando estes dois princípios.

Essas alterações do sistema estão baseadas na relação custo benefício da assistência médica prestada , com foco emmelhores resultados e custos mais baixos. Nesse sistema , todos profissionais devem demonstrar claramente de que forma estão colaborando com a saúde o paciente, diz o Presidente do RSNA.
Após um ano de reflexão sobre a nossa especialidade, agora eu acredito mais firmemente do que nunca, que devemos estabelecer um novo tipo de relacionamento com os nossos pacientes , no sentido de atender as suas necessidades e expectativas, de acordo com nosso atendimento primário e dos colegas especialistas” disse Bizet.

“O que estou tentando explicar é de que devemos “assumir”os problemas dos nossos pacientes”, disse ele.”Investir nessa relação com o paciente e pensar no mesmo como “nosso”paciente – assumindo seus medos suas inseguranças , frustrações, sua necessidade de informação clara e compreensível, seus comportamentos , sua capacidade de adotar atitudes benéficas à sua saúde.Acredito que é hora de redefinir o que entendemos por assistência ao paciente, não somente como um serviço ou produto a ser entregue , mas também como uma virtude a qual vivemos e respiramos como nosso dever diário”afirmou Bisset.

O médico vê essa situação de caos na saúde como uma oprtunidade de ouro . Esse ambiente de mudança onde busca-se valor agregado às práticas médicas é oportuno para abordar e alterar a invisibilidade do radiologista. Aconselha a prestar atenção aos pequenos detalhes – mesmo exames rotineiros como um raio x de tórax ou uma mamografia são alarmantes para alguns pacientes.Passe um pouco de tempo na sala de espera da sua clínica e converse com os pacientes sobre como é possível melhorar a experiência deles nesse setor de diagnóstico.
Uma prática centrada no paciente se resume a quatro princípios, de acordo com Bisset:

1. Dignidade e respeito: profissionais de saúde devem ouvir e honrar paciente e perspectiva familiar assim como suas escolhas;

2. Compartilhamento de informações: Os profissionais da saúde devem comunicar e compartilhar informações precisas, completas, oportunas e imparciais com pacientes e familiares de forma afirmativa e útil;

3. Participação: Os pacientes e familiares devem ser encorajados e apoiados em participar no cuidado e tomada de decisão a respeito dos exames e opções terapêuticas ,em qualquer nível que escolher.

4. Colaboração: Pacientes e famílias devem ser incluídas como parceiros em uma base de toda a instituição. Os líderes de saúde devem estimular a colaboração com pacientes e familiares na política e no desenvolvimento, implementação e avaliação dos projetos de saúde da sua clinica e/ou serviço. Eles também pode e devem colaborar no projeto de instalações de saúde, educação profissional e prestação de cuidados.

"Estes são os primeiros pequenos passos, mas eles irão percorrer um longo caminho para garantir a visibilidade da nossa especialidade, com nossos pacientes e nossos colegas", disse ele. "Assim alcançaremos o caminho de um relacionamento autêntico com o paciente e não com o doente”lembra Bisset.O paciente passara a considrar o profissional de imagem como seu médico.

"Ao tomar esse caminho, vamos demonstrar aos nossos pacientes que nos preocupamos com eles, vamos demonstrar aos nossos colegas o nosso valor como parte integrante da equipe de saúde estaremos realizando uma contribuição decisiva no momento que o sistema de saúde mais prercisa de nós”, acrescentou.

tradução: College Language Center Londrina - PR

November 25, 2012 -- CHICAGO - "Step out from behind the curtain and put a face on the radiologist" was the resounding message of Sunday morning's opening session at the annual RSNA meeting. Dr. George Bisset III, RSNA president, emphasized the meeting's theme during his opening remarks and was echoed by colleagues in sessions that followed.

The phrases "put the patient first" and "become more visible" are often repeated in the radiology community, but Bisset, a pediatric radiologist from Houston, argued they must become a reality if radiology is going to weather the changes ahead. The looming Affordable Care Act as well as accountable care organizations and medical homes make it essential for radiologists to live by these two principles.

These healthcare changes are movement toward value-based healthcare, with a focus on better health outcomes and lower costs. In this system, everyone is expected to show how they contribute to patients, he said.

"[A]fter a year of reflection about our profession, I now believe more firmly than ever that our future depends on our capacity to develop a new kind of shared ownership of our patients' needs and expectations, along with our primary care and specialty colleagues," he said.

"What I mean is owning our patients' problems," he said. "I mean being more fully invested in them, thinking of them as 'our' patients as much as anybody's -- owning their fears and their frustrations; owning their need for clear, understandable information; and owning their health behaviors and capacity to make good health-related decisions. I believe it's time to redefine what we mean by patient care, viewing it not so much as a product we deliver but as a virtue we live and breathe as we go about our daily duties."

Bisset sees the current healthcare chaos as a "golden opportunity." The changing environment of value-driven healthcare is an opportunity to address radiologists' invisibility. He advised paying attention to small details -- even relatively routine exams such as mammograms or chest radiographs may be alarming for some patients. Spend a little time in the waiting room and ask patients what can be done to improve the experience, he added.

To create a patient-centered practice it boils down to four principles, according to Bisset:

1. Dignity and respect: Healthcare practitioners should listen and honor patient and family perspective and choices.

2. Information sharing: Healthcare practitioners should communicate and share accurate, complete, timely, and unbiased information with patients and families in ways that are affirming and useful.

3. Participation: Patients and families should be encouraged and supported in participating in care and decision-making at whatever level they choose.

4. Collaboration: Patients and families should be included as partners on an institution-wide basis. Healthcare leaders should collaborate with patients and families in policy and program development, implementation, and evaluation. They should also collaborate in healthcare facility design, their professional education, and in the delivery of care.

"These are small steps, but they will go a long way in ensuring visibility in our profession, with our patients and our colleagues," he said. "And they'll get us well along the path of true patient ownership, becoming invested in and committed to our patients, not 'the' patients. You are the patient's doctor when it comes to imaging."

"By taking this path, we'll demonstrate to our patients that we care, we'll demonstrate to our colleagues our value as an integral part of the healthcare team, and we'll make a significant contribution at a time when the healthcare system needs us more than ever," he added.

 

© 2007 - Radiology.com.br